Gerenciando times autogerenciáveis no OxenteRails 2010

Há alguns dias tive a oportunidade de falar uma ou duas palavras no OxenteRails 2010 sobre gerenciamento de times de desenvolvimento de software, em especial, os autogerenciáveis. Foi uma experiência bem bacana, havia mais gente interessada no assunto do que eu imaginava que haveria.

Demorei um pouco, mas cá está, subi minha apresentação pro SlideShare.

O que achei do evento?

Achei o evento muito arretado, como de fato era sua proposta. (háh!)

Bem, mas sendo um pouco mais especifico, deixo um destaque especial para a organização do evento, que foi impecável; muito acima da média mesmo; o pessoal da comunidade lá de Natal está de parabéns. Annaysa Melo, Paulo Fagiani, Maximiliano Guerra e todos os demais, muito obrigado pela receptividade!

Presença da Locaweb

Esse ano, um coisa peculiar que rolou foi que, além de mim, outros quatro locawebers também palestraram: Fábio Kung, Nando Vieira, Rafael Rosa e Daniel Cukier. Me senti em casa!

Palestras

A maioria das palestras que assisti foram muito boas, em especial a do Tapajós que, como já era de se esperar, mandou super bem falando de CouchDB. Queria muito ter visto também a do CV, mas infelizmente não pude, porque palestramos no mesmo horário. Fica pra próxima.

A palestra do Geoffrey – com aquela voz de peepcoder – foi no mínimo divertida; mas a do José Valim acho que ficou devendo um pouco – talvez porque, IMHO, soou um tanto quanto marketing da Plataforma. Já a do Akita me surpreendeu. Nem tanto pelo conteúdo – apesar de indiscutivelmente relevante –, mas mais pelo formato e desenvoltura. Bem legal mesmo.

Não gostei da palestra do Carlos Brando, achei muito auto-ajuda; mas deixo um ponto positivo pro trecho de Assembly e C que ele codou ao vivo. Aliás, falando em codar ao vivo, a palestra do Nando foi muito boa, com seus slides super descolados e coloridos, mas ele não codou ao vivo. Tadinho do Murphy e sua lei, não paparam essa.

Dessa fez o Kung também não codou ao vivo, como de costume, mas sua palestra foi legal, bem contextualizada, dinâmica e totalmente #devops. Aliás, ela fez tanto sucesso que, depois de terminá-la, ele ficou um tempão trocando idéia e codando com a galera no open space.

Não pude ver a palestra do Rafael Rosa, meu colega de Locaweb, porque estava na do Hugo Baraúna sobre Project Rescue. Não gostei muito, pra ser sincero, então acabei ficando meio frustrado.

Henrique Bastos deu um show de humildade, numa palestra que, sinceramente, eu não esperava muito do tema. Foi excelente. Já a palestra do Daniel Lopes, não gostei não. Gostei do Steak, que eu ainda não conhecia, mas achei a palestra dele meio bala de prata no que diz respeito a testes de aceitação.

A palestra do Vinícius Teles foi legal, mas como eu já tinha visto ele palestrar nos dois últimos anos, na Rails Summit, não foi muito novidade pra mim. Mesmo assim, uma boa palestra.

Nessa linha de empreendedorismo – também seguida pelo Rafael Lima, o Alê Gomes, cara muito gente fina, fez uma apresentação meio reworkeana, mas mega divertida. Casquei o bico com ele.

Vi também a palestra da Thaís, falando sobre seu dia-a-dia no trabalho, comprometimento e respeito aos colegas. Foi legal.

E por fim, rolou um Q&A com todos os palestrantes, quando foi revelado que somente eu, Akita, CV e Juan Bernabó não terminamos a faculdade. Aliás, falando nesse Q&A, rapaz, como tem gente que gosta de falar, hein? Teve palestrante que pegou o microfone e não quis mais largar. Fiquei impressionado.

Balanço final

Valeu bastante a pena ter participado dessa conferência, em especial pelas discussões e bate-papos informais.

Ano que vem, quem sabe, nos vemos por lá outra vez!

{ 5 comments to read ... please submit one more! }

  1. Muito legal a opinião sincera sobre o evento !
    Realmente parece ter sido muito arretado. :D

    Sucesso!

  2. Concordo com Roger. Muito legal ver uma opinião mais sincera.

  3. Olá Leandro!
    A Locaweb aplica esse conceito de times autogerenciáveis?
    Estou produzindo uma matéria para a revista Melhor Gestão de Pessoas e preciso de cases.

    Aguardo retorno.

    Abraço!

    Vanderlei Abreu

  4. Oi Vanderlei… Sim, alguns times seguem essa ideia de autogerenciamento.

    Definitivamente não significa que todo mundo faz o que quer e é a festa do caqui. Pelo contrário.

    Basicamente, o princípio é esse: se o time é formado por pessoas maduras, responsáveis, comprometidas com resultados, não-preguiçosas, trabalhadoras, então autogerenciamento funciona; caso contrario, esqueça. Por outro lado, se o time requer muito esforço de gerenciamento, ele custa mais, deixa todo mundo desgastado; neste caso, melhor repensar o time.

    (leandrodoze at gmail) ;)

{ 1 Pingbacks/Trackbacks }

  1. Me mostre seus argumentos… – Farias, Claudia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>