Como vi Scrum ser completamente rechaçado em uma grande empresa

Esse foi o tema da minha apresentação na Agile Brazil 2010 em Porto Alegre, como havia relatado em outro post aqui no blog.

Um pequeno review

O evento foi muito bacana, teva ótima organização, boas palestras, tudo muito legal mesmo. Parabéns ao Danilo Sato, ao Hugo Corbucci, à Mariana Bravo e aos demais organizadores.

Palestras

As palestras foram boas, mas em geral não trouxeram nada de muito novo. Mesmo o keynote do Martin Fowler, que tocou no assunto de deploy contínuo, não trouxe nada de muito novo. O Guilherme Silveira, da Caelum, havia blogado em março e feito uma apresentação em maio sobre esse tema no evento Maré de Agilidade, em BH.

Gostei bastante do tutorial do Paulo Caroli, da ThoughtWorks, sobre Agile Card Wall; da palestra do Franscico Trindade, também da ThoughtWorks, sobre Coaching de Guerrilha; achei interessante a palestra do Manoel Pimentel, da Visão Ágil, sobre Coaching para Liderança de Equipes Ágeis, mas fiquei um pouco entediado com suas dinâmicas; e infelizmente, não pude ver o workshop do Rodrigo Yoshima, da Aspercom, e do Phillip Calçado, da ThoughtWorks, sobre Modelagem Ágil, porque eles baleiraram a sala!

O keynote do Klaus Wuestefeld foi bem divertido – feito no Notepad! – e, como sempre, subversivo!

Networking

Mas apesar das boas palestras, a parte mais interessante mesmo, na minha opinião, foram os papos informais nos intervalos das palestras, almoço e final do dia. Papos informais são uma excelente maneira de trocar experiências, ter insights e conhecer pessoas talentosas. Rolou de tudo: liderança de times ágeis, auto-gerenciamento, débito técnico, desafio de lidar com sistemas legados, gerenciamento de iterações, Kanban, métricas, e por aí vai. Muito proveitoso.

Dicas de reviews

Sugiro fortemente que você leia os reviews feitos pelo Rafael Rosa, um dos meus colegas de Locaweb que também estiveram por lá.

Outra dica de leitura é o review que o Alan, também da Locaweb, fez do curso de CSPO que ele fez na prévia da conferência.

{ 4 comments to read ... please submit one more! }

  1. Estranho é saber que é uma empresa grande. Sinal que essa onde de “Ágil” não passa de uma moda.
    Sinceramente, sugerir que uma empresa já grande mude sua cultura é ridículo e um tremendo absurdo.
    Scrum é legal, mas nunca vai resolver tudo, caia na real meu chapa.

  2. Oi Paulo, tudo bem?

    Sugiro que você mude sua mentalidade.

    Abraço!

  3. Paulo, estou atualmente finalizando a implantação de Scrum e XP numa grande seguradora, a SulAmerica.

    Sim, é possível mudar a cultura de uma grande empresa, e no caso desse meu cliente as mudanças são empolgantes.

    Ridículo são empresas não buscarem melhoria e transparência.

  4. Manuell Castells

    Realmente tudo é muito empolgante, mas pra quem?
    Outsourcing, reengenharia, Kanban é muito bom pra quem procura lucratividade, o modelo é agil mas torna o empregado com uma sensação de pseudo-autonomia típico de processos tayloristas. Talvez o assunto em voga devesse ser a racionalização flexivel focando um pouco mais os trabalhadores como fizeram os paises nórdicos. Parabéns, EUA e Japão estão contentes por vocês!

{ 0 Pingbacks/Trackbacks }

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>